Bach Blog Emilia Fox 1400x420

Um guia completo para as suas emoções

Sem sombra de dúvida você passou por um massivo espectro de emoções ao longo da sua vida: a alegria de testemunhar algo novo nascer, a agitação de prospectar um trabalho novo ou mesmo o medo de uma repentina aparição aracnídea!

Mas você já parou para pensar o que realmente são emoções e por que temos elas?

Se alguém lhe disser que se sente feliz ou triste, você possivelmente sabe o que quer dizer. Mas ao mesmo tempo em que a maioria de nós possui um entendimento instintivo das emoções, não há consenso aceito entre os psicólogos¹. Para alguns, emoções são reações mentais passageiras relacionadas a acontecimentos, enquanto outros descrevem emoções como a percepção da mudança física, como o aumento do batimento cardíaco ou mesmo o suor inesperado das mãos. Talvez nossa experiência seja algo dentre essas duas interpretações.

Aparentemente, podemos dizer que é plausível descrever as emoções como um estado mental, refletindo nossos níveis de prazeres e desprazeres, geralmente em conjunto com sensações físicas.

Neste artigo, nós exploramos algumas ideias que circulam na natureza das emoções e o impacto delas no nosso dia-a-dia.

3 formas de se pensar sobre emoções

A experiência física das emoções.

Possivelmente, a primeira coisa que vem na cabeça quando pensamos sobre emoções é a sensação física: “borboletas” no estomago quando você está nervosa ou excitada, o fluir das lágrimas quando triste ou mesmo o acelerar do coração quando assustada.

Essas respostas psicológicas são controladas automaticamente pelo sistema nervoso, e são particularmente ligados a emoções negativas como medo e fúria.

Mesmo que, por vezes, desagradáveis, s a experiência física das emoções mostra-se úteis como sinal de que algo nos seus arredores necessita de atenção imediata. Imagine se você não sentisse o pânico inicial ao sinal de um urso correndo em sua direção.

Emoções e o processo cognitivo

Mas emoções não se limitam somente a sensação física. Elas são interligadas com os pensamentos, julgamentos e atitudes, geralmente ocasionadas por coisas que acontecem ao nosso redor e pela interpretação que temos desses eventos.

Como exemplo, podemos dizer que nos sentimos felizes e agitados quando oferecidos uma promoção no trabalho, isso por acreditarmos que a mesma nos ajudará a alcançar os nossos objetivos relacionados ao sucesso de carreira profissional e, por conseguinte, estabilidade econômica. Em contra partida, nos sentimos tristes ou enraivecidos com o fim de um relacionamento, pelo fato de acreditarmos na perda de algo importante.

Nossas emoções são, por conseguinte, a consequência desse processo de julgamento da nossa situação para com as nossas crenças.

Mas claro, sabemos que as emoções não ocorrem de forma isolada mas, mesmo assim, é possível sentir emoções pela simples consequência de um pensamento específico. Como exemplo, se você estiver na expectativa de perder algo sem ter realmente perdido, você pode acabar ainda sim se sentindo triste. Se você acredita que algo de ruim acontecerá futuramente, você pode acabar sentindo ansiosidade. Isso sugere a possibilidade de podermos organizar as nossas emoções mais efetivamente de acordo com o jeito que tratamos os nossos comportamentos e crenças.

Expressando as nossas emoções

A forma como nos comportamos ao sentirmos diferentes emoções reflete em nossas interações com as demais pessoas, nos ajudando nos vínculos sociais. Ao demonstrarmos agitação ou nervosismo para os nossos amigos e testemunharmos a mesma reação vindo deles, costumamos sentir um forte senso de conexão.

A habilidade de entender e ler as emoções nas outras pessoas, assim como a simpatia pelas experiências emocionais delas, é conhecida como inteligência emocional [Link – Inteligência Emocional]. Inteligência Emocional (ou IE) é um fator essencial para a construção de relações sociais positivas.

Há também normas culturais associadas com a forma na qual demonstramos as nossas emoções, auxiliando-nos no convívio dentro de um grupo específico em questão. Geralmente, essas expectativas estão ligadas com idade, gênero, cultura ou situação. Como exemplo, as emoções que se espera demonstrar em um casamento podem ser bem diferentes em comparação as consideradas em um funeral.

Entendendo as nossas emoções

Claramente entendemos que o complexo mundo das emoções desempenha uma importante função social em nossas vidas. Em nível individual, as emoções nos ajudam no aprendizado de comportamentos que nos levam a emoções positivas, evitando ações que resultam em sentimentos desagradáveis. Geralmente, isso desencadeia uma conduta benéfica à nossa comunidade em geral; e essa linguagem emocional comum fortalece as nossas relações sociais.

Caso você queira explorar a sua própria linguagem emocional e o seu impacto no seu bem-estar, que tal experimentar o nosso sistema de Florais de Bach™ Originais? Nosso sistema completo foi formulado para auxiliá-lo no entendimento e equilíbrio das suas emoções através de uma abordagem individual e pessoal. As essências podem ser tomadas individualmente ou mesmo combinadas entre si para criar o seu próprio floral que trabalhará em harmonia com o seu corpo. Saiba mais sobre as 38 essências florais aqui.

Últimos artigos